Reimagine Rio

Série de documentários para web. Cada filme narra com especial atenção a trajetória de sujeitos ligados a 6 ações/instituições que trabalham e formam, através da cultura e do esporte: a escola de audiovisual Cinema Nosso, o grupo musical Jongo da Serrinha, o circo Crescer e Viver, novos talentos do projeto Campinho Show e o centro de treinamento esportivo Miratus. Os filmes tratam das realizações pessoais e dos projetos culturais e esportivos nas periferias como alternativa eficaz de geração de renda e “commodities sociais”, atrelados à ideia de oportunidades que promovam “performances de alto desempenho”. Aproveitando o período dos Jogos Olímpicos, a ideia é apresentar através do audiovisual um pouco da riqueza da carioquice, de parte da cidade do Rio de Janeiro que muitos desconhecem e que são verdadeiros bolsões de criatividade, empenho e comprometimento. Verdadeiras lições de vida.

Através da música, muitas histórias de transformação social e de vida. O Grupo Cultural Jongo da Serrinha é uma organização social, com cerca de 50 anos, criada no bairro de Madureira, zona norte da cidade do Rio de Janeiro, que promove ações integradas entre cultura, arte, memória, desenvolvimento social, trabalho e renda. Há 13 anos se tornou oficialmente uma Associação Sem Fins Lucrativos e vem atuando em parceria com o poder público, privado e instituições inter- nacionais para a promoção do Jongo como patrimônio imaterial do sudeste e seus desdobra- mentos sociais para desenvolvimento humano.

Conheça mais: http://jongodaserrinha.org/

Assó, adorei o Jongo!

No risco do circo, no risco da vida

O Circo Crescer e Viver é um circo que junta arte e transformação social em seu picadeiro. Uma organização que, em mais de dez anos de atividade ininterrupta, iniciou seu trabalho com circo social e, depois de muitos saltos e cambalhotas dos seus fundadores, equipe, participantes e parceiros, expandiu seus projetos e atividades, transformou-se em uma das mais expressivas instituições do circo brasileiro. Desenvolvendo ações nos campos da formação, produção, difusão e fruição das artes circenses, o Circo CRESCER E VIVER é hoje um empreendimento com atuação em todos os elos da cadeia produtiva do circo, assumindo uma posição de vanguarda na renovação estética e na atualização criativa das artes circenses no Brasil.

Conheça mais: http://crescereviver.org.br/

Organizada pelo grupo de teatro Nós do Morro, Campinho Show é uma atividade gratuita de estímulo à formação de plateia comunitária e lançamento de novos talentos em diferentes modalidades artísticas, como música, dança, poesia e performances teatrais. O evento acontece todas as quartas-feiras, a partir das 19h, na Vila Olímpica do Vidigal, Rio de Janeiro. Inspirado nos pioneiros “Show das Cinco” e, depois,“Show das Sete”, que nos anos 90 proporcionaram uma intensa programação artística e cultural (esquetes de teatro, números de dança, música e poesia) para as crianças, jovens e adultos moradores do Vidigal e bairros vizinhos no pátio da Escola Almirante Tamandaré. Oferece oportunidade para artistas novos e profissionais se apresentarem na comunidade do Vidigal.

Conheça mais: http://www.nosdomorro.com.br/

Loucos dizem que somos

Não deixe a peteca cair

O Badminton é um esporte pouco conhecido no Brasil, mas na comunidade da Chacrinha, histórias incríveis de inclusão social, acontecem por intermédio desse esporte. Associação Miratus de Badminton é uma entidade não governamental sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento social por meio da educação e do esporte. Foi fundada por Sebastião Dias de Oliveira em 1998. Localizada no extremo oeste da cidade do Rio de Janeiro, a Chacrinha é uma comunidade de pouco mais de 5.000 habitantes na divisa dos bairros de Tanque  e Praça Seca.

Conheça mais: http://www.miratus.org/

O Cinema Nosso é uma instituição sociocultural que há mais de 13 anos trabalha pela democratização do acesso e da produção audiovisual. É hoje, uma das maiores escolas populares do setor na América Latina, realizando cursos, oficinas, produções, exibições de filmes, mostras e festivais. Através dos cursos regula- res, aproximadamente 3500 jovens já foram atendidos, 106 cursos realizados, 158 oficinas, mais de 173 curtas metragens produzidos, 2 longas, 2 séries para TV. A ação teve início em 2001, a partir do processo de seleção de elenco para o filme “Cidade de Deus” e hoje é voltada para projetos, eventos e pesquisas em audiovisual, cultura digital, games e juventude. Através da escola audiovisual, o Cinema Nosso, em 2015, expandiu seus trabalhos, levando sua tecnologia social para Paraty, Paraíba e Mato Grosso.

Conheça mais: https://www.facebook.com/CinemaNosso

Nosso Cinema Nosso